3.20.2016

Conscientes e Psicopatas

Apetece-me falar das pessoas que conheci, das que conheço e daquelas que desejo que tenham a verdadeiramente oportunidade de conhecer o seu EU.

Sinceramente e por mais dura que possa parecer, essas nem faço questão de as ter por perto, de ousar ouvir ou pronunciar o seu nome, por uma questão de respeito, acima de tudo por MIM e por elas próprias.

Se há algo que eu tentei entender, desde sempre, foi a mente humana, nomeadamente o que leva um Ser Humano a matar outro Ser Humano.

Aquele sentimento de compaixão: Oh coitado!
O que o motivou?
O que sentiu para?
O que sentiu quando?
O que sente agora?

Foram questões que dominaram grande parte da minha vida, no mínimo seis intensos e longos anos.

As respostas que ouvi:
- Não pode ter sido!
- É da família!
- Sempre nos acarinhou!
- Não foi capaz!
- Foi outra pessoa!
- Deve estar a ser ameaçado!

Mas a melhor de todas é: se matou, tinha um bom motivo!
- Claro que esta só pode ser dada por outro psicopata!

Atenção que não estou a falar de acidentes, estou a falar de casos bem estudados, premeditados, daqueles em que são brutalmente fascinantes em filmes! 

Não me refiro àqueles que deixamos que sejam projectados pela sétima arte nas nossas vidas, estou a falar de algo bem real, algo que entra todos os dias nas nossas vidas, nalguns casos via show media, noutros pela dor de alguém pelo qual temos um grande carinho.

Queria ser repórter de guerra, não para alimentar psicopatas mas para alertar os conscientes de que têm de agir, de fazer algo! 

É tramado a quantidade de crianças que deixam de o Ser por causa de um psicopata!
Acredito que só quem vive de perto um homicídio é capaz de entender onde quero chegar.
Não morre só o Ser que amamos, morre tudo!

Reconheço, na primeira pessoa, que não há justiça no mundo que nos devolva aquilo que nos roubaram. Aliás, não há nada!

A maior justiça é estarmos bem com a nossa Consciência.
Perdoar? Não sei se alguma vez se consegue chegar a esse acto na sua verdadeira essência.
E se perdoar é: a vida nos colocar frente a frente com tal actor e, sermos capazes de o olhar olhos nos olhos e, chorar de compaixão. 
Então já consegui... dar um passo de gigante, embora para sempre a cambalear!

Acredito que todo o Ser por mais psicopata que seja, um dia encontrará a sua Consciência!

Sem comentários: